Depois de muitos anos eles se reencontraram. Depois de idas e vindas, muitos amores e conquistas vazias, muito aprendizado e relações ínfimas. Finalmente se reencontraram. Imediatamente houve a identificação, os olhos se reconheceram, lembranças do passado voltaram, a primeira coisa que pensaram foi: agora sim!

Incrível como a conversa fluía, as ideias batiam, as mãos se tocavam levemente, o perfume embriagava, não podiam mais fugir do primeiro beijo, seria um insulto a eles mesmos. O que era pra ser um beijo se tornou algo muito maior, algo inexplicável aconteceu naquele momento, nada mais voltaria a ser como era antes. Foi transcendental e sublime, o pensamento dos dois era não entender como podia ser tão bom, como esperaram tanto tempo? Como viveram tanto sem experimentar um ao outro?

Sem explicação, ela sentia que ele podia ser o cara, e não pela noite de amor maravilhosa, mas por tudo que um significava para o outro, porque desde o primeiro beijo o olhar dela mudou o brilho que não se apagava, uma força que não a deixava, como se todos esses anos ela estivesse esperando por ele.

Mas, nada é perfeito. O medo tomou conta. Depois de tantas decepções, tantas feridas, tantas promessas, porque agora seria diferente? Ela foi se apaixonando, sabia que nada mais na vida seria igual, sabia que podiam ser imensamente felizes e completos, não com o amor romântico idealizado por filósofos e poetas, o tipo de amor que torna uma simples tarefa em algo prazeroso, sua maior realização era quando o fazia dar gargalhadas e queria ajudá-lo a realizar seus sonhos. Ela viu o que o futuro traria, viu esse futuro chegando tão docemente e tão avassalador que ficava eufórica e ansiosa para viver logo tudo isso.

O que ela não contava é que ele não via nada disso. As feridas do passado ainda estavam abertas, a fé no amor havia se acabado, as decepções o cegava, ele tinha um vazio que não sabia que podia ser preenchido por ela. Por breves momentos ele quase se entregava, mas a razão não deixava o coração voar pra ela. Quando ele deitou no ombro dela, ela passou as mãos em seus cabelos e sentiu o amor chegar, foi nesse exato momento que ele pensou que podia se apaixonar, e então fez o que sabia fazer de melhor: ele fugiu.

E assim tão avassalador quanto chegou, ele foi embora. A dor causada foi tão intensa, pois onde achariam algo assim de novo? Como deixar de desejar algo tão perfeito?
Mas algo de bom ficou a certeza de mais um aprendizado, ela aprendeu que a dor não é eterna, e tão rápido quanto chegou essa dor passará, pois nada pode ser perfeito, talvez fosse só uma ilusão, quantas pessoas passam pela vida sem saber o que é o amor, mas ela sentiu e por alguns momentos ela foi feliz, ela deu tudo de si, e experimentou o sentimento que todos procuram.

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS