Curta e compartilhe!

Na minha descontente jornada amorosa, pela pouca experiência que tenho, definitivamente, não entendo porque os homens são tão complicados ou são eles é que complicam!!!Eu não sei se o problema sou eu, que apenas me apaixono por caras estranhos, ou que tiveram um relacionamento ruim e tem medo de se envolverem de novo, ou querem chegar e não tem coragem, ou não querem nada sério mesmo, ou que querem se dedicar a coisas que se julgam mais importantes que um relacionamento, que também são importantes. (estudo, trabalho e etc.)

Eu tenho 20 anos e não tenho muita experiência no campo amoroso, acho que tenho que comer muito arroz e feijão pra chegar no topo de vocês, meninas que lerão esse artigo e assíduas leitoras deste portal.
O fato é que quanto mais o tempo passa, contínuo a não entender… O QUE ELES QUEREM COM A GENTE AFINAL?

Tenho um amigo e sou apaixonada por ele, descobri há pouco tempo, quando de repente comecei a olhá-lo com outros olhos, as pequenas gentilezas e preocupações que tem para comigo, sorrisos e brincadeiras sem graças e pequenas coisas no dia-a-dia, como elogios e tentativas de me arrancar um em relação a ele.

Uma relação saudável e infantil, ambos praticamente da mesma idade e sonhos parecidos, ele é um cara sensível e prestativo, incapaz de tratar mal uma mulher ou algo do tipo, me apaixonei pelo seu coração e pelo seu carismático jeito de ser.

Romanticamente tímida, resolvi abrir meu coração pra ele e contar o que se passava dentro do meu frágil e inexperiente coração, da maneira menos convencional possível, escrevi uma carta, não muito romântica, mas com um conteúdo surpreendentemente interessante, a melhor maneira que eu encontrei de desabafar com ele, já que falar pessoalmente, estava fora dos meus planos.

24 de dezembro de 2008, dia chuvoso, nebuloso e corrido, por volta de quase meia-noite, estávamos na igreja, comemorando juntos o natal e participando da ceia, fui cumprimentá-lo e ele me deu um abraço e um beijo, esse a qual nunca vou me esquecer, porque por mais que fosse apenas um abraço e um beijo comum, como nos dávamos muitas vezes, foi o primeiro que senti os mais diversos calores percorrendo todo meu corpo e os mais diversos sentimentos, o nervosismo estampado no meu rosto e entre meus dedos, uma folha de papel onde lá, se encontravam meu maior segredo.

Não tive coragem de olhar em seus olhos e lhe dar em mãos, aquela confissão em forma de palavras escritas, então, sem que ele pudesse perceber, joguei a carta dentro da sua mochila e fugi, fui embora sem que ninguém tivesse me visto, sei lá porque, de vergonha, medo de me arrepender e tentar resgatar a carta, mas agora não tinha mais jeito, ele ia saber a verdade e agora, era tudo ou nada.

Alguns dias depois, através de uma tela fria do computador, num domingo, altas horas da noite, conversamos pela primeira vez, depois da catastrófica revelação que tinha feito, o medo estava nítido em minhas mãos que tremiam como o vento que balança as folhas das árvores.

Finalmente ele tomaria uma atitude e de uma vez, falaria o que estava sentindo, já que era muito tímido também, não que eu não fosse, mas nós mulheres somos impacientes demais e muito ansiosas pra esperar uma atitude masculina, ainda mais se ele for um pouco “lento”.

Me disse que tinha lido a carta e que queria conversar pessoalmente comigo, me chamou pra irmos ao cinema no dia seguinte, nossa, me irradiei, funcionou, finalmente ele ia confessar que me adora, que gosta de mim e que quer ficar comigo, fiz um pouco de doce, mas aceitei.

No dia seguinte, ele me ligou dizendo que ia fazer hora extra no trabalho, que ia sair muito tarde, mas que deveríamos marcar um novo encontro.
O tempo foi passando e nada dele tocar no assunto e eu comecei a ficar nervosa com aquela situação e resolvi jogar umas “indiretas” pra ele se tocar que eu queria uma resposta quanto ao encontro e a carta.

Dai foi e discutimos por causa disso várias vezes e ele até “jogou” na minha cara que eu não sabia o que se passava com ele e não podia julgá-lo e eu, no desespero, disse que tudo aquilo que ele havia lido era nada mais, nada menos que algo que eu havia feito no calor da emoção, algo precipitado, que ele deveria esquecer e que devíamos nos afastar pra não sofrermos e que eu achava melhor me afastar dele.

Trocamos emails e nesse vai e vem, ele acabou dizendo que não poderia ser mais que um simples amigo e então, a nossa amizade nunca mais foi a mesma, ele não é como antes, não faz tanto aquelas gentilezas que eu adorava receber e foi tudo culpa minha.

Chorei, me desesperei e estou aqui, super triste e não sei o que fazer, sinto que ele tenta até se aproximar de novo, mas sinto também que ele tem medo e se sente um pouco triste e talvez até intimidado quando fala comigo.
Ganhei uma bolsa de estudos numa universidade no sul do Brasil, o que sempre quis, ir embora, ter minha independência e fazer o que realmente gosto, estudar e conquistar meus objetivos, quando contei a ele, senti com toda certeza, o incomodo que sentiu quando falei em “ir embora”, ele não gostou e fez questão de mostrar isso, mas não entendo, por que ele não esquece de tudo o que passou como eu fiz e diz logo que é louco por mim, que gosta de mim, o que será que ele está esperando? Que eu vá embora e nunca mais nos vemos de novo?

Por isso que não entendo os homens e pergunto mais uma vez, será que o problema sou eu?
Que não sei lidar com o sexo oposto, dou lugar a ansiedade e acabo “entregando o jogo” antes da hora? Será que o problema é ele, que não sabe lidar direito com os sentimentos.

Ás vezes me pego pensando, desesperadamente não sei o que devo fazer!!!
Do outro lado, o tempo vai passando e exigindo de mim uma posição, mas o que fazer, ficar e lutar por nós dois e dizer a ele o que realmente eu sinto com todas as letras e assim, resolvermos ser felizes aqui mesmo ou colocar a cara no mundo, ir embora estudar e me formar e deixar que o meu amor saia pela porta da frente e deixe a chave em cima da mesa, sem intenção de voltar mais e perde-lo pra sempre?
Bom, mas também nem sei se vale a pena lutar por ele, não sei o que realmente ele quer?

Que difícil escolha, mas o tempo não espera, continuo amando, mas não sei como devo explicar, nem pensar em nada que eu possa fazer, deixar que o tempo nos afaste? isso é cruel demais…

(Visitado 1.046 vezes, 1 visitas hoje)