Curta e compartilhe!

Há poucos anos o homem nascia com a missão de ganhar dinheiro e ser o provedor da família. Não se esperava nada menos que isso. Se a mulher trabalhasse fora e contribuísse com algo para o orçamento da família era uma grande vitória. Mas as mulheres resolveram que queriam trabalhar também, que queriam igualdade de vida, e com isso, temos hoje várias famílias nas quais a mulher é a pessoa que ganha mais dinheiro, a provedora.
Quantas de vocês lendo esse artigo passam por isso? Quantas de vocês conhecem alguém nessa situação? Quantos de vocês, rapazes, se sentem mal com isso e acabam procurando maneiras para se provar, para mostrar que são ainda os responsáveis pela família?
Ainda não existe uma maneira fácil e simples de se adaptar a essa mudança. Alguns homens se afastarão naturalmente pois não conseguem aceitar uma mulher mais bem sucedida que eles. A evolução das mulheres está ocorrendo mais rapidamente que a aceitação desse novo cenário pelos homens e, principalmente, pela sociedade. Temos um papel importante em fazê-los entender que o dinheiro, o cargo, a importância profissional não muda a rotina, o amor e a admiração em casa.
Se você é mais bem sucedida que seu parceiro, ou se você tem uma parceira de sucesso,um dos problemas que pode aparecer é a vergonha; vergonha de depender dela, vergonha de se sentir inferior.
Aqui vão algumas dicas de como lidar com as principais preocupações relacionadas a esse cenário:
1. Sociedade: é muito normal que o homem se sinta mal, envergonhado e com receio de ser julgado pela família e amigos. É muito importante que vocês, como casal, estejam de acordo com a situação e que conversem abertamente sobre isso. As vezes é uma situação temporária, como a perda de um emprego, em outros casos é a realidade, e quer saber? Tudo bem. Entre quatro paredes o que importa é a felicidade de vocês, e não quem paga as contas. Se vocês são felizes, de um chega para lá para os comentários ou pressão da sociedade. Ignore.
2.Divisão de atividades: enquanto o homem era o provedor original, a mulher seria a pessoa que deveria ficar em casa, cuidando do lar e do bem estar da família. No cenário atual o casal precisa conversar e entender como dividir essas responsabilidades. Muitas das mulheres bem sucedidas ou que ganham melhor que o parceiro, não querem chegar em casa e ainda ter que ser a chefe do lar. Vocês precisam entender qual a melhor forma de dividir as atividades e você, rapaz, entenda que vai precisar lavar uma louça, revezar nos cuidados com os filhos etc.
3. Medo de separação: para alguns homens ter uma mulher mais bem sucedida pode acarretar em um grande receio de perda. Um pensamento comum para alguns homens é que a parceira preferiria ter alguém com o mesmo status, ambição. Isso não é necessariamente verdade. Caso a parceira queira alguém ambicioso e que colabore da mesma maneira em casa, a diferença profissional pode vir a ser um grande problema. Normalmente, antes de um passo maior como um casamento, as duas pessoas precisam alinhar os sonhos, desejos e entender se compartilham os mesmos ideais. O amor talvez não seja capaz de manter duas pessoas com sonhos e expectativas muito diferentes.
4. Como lidar com o dinheiro: de quem é o dinheiro? Da mulher que ganha mais que o homem? Do casal? Como gerenciar os ganhos? Não acho errado a mulher desejar guardar em uma conta separada uma parte do salário para futuros projetos e o restante colocar em uma conta conjunta. Mas, de novo, cada casal tem uma dinâmica diferente e vai depender de vocês entenderem a melhor maneira de lidar com isso. Só um ponto de atenção: pense nisso antes que o dinheiro seja um grande problema no relacionamento. Planeje enquanto a diferença ainda seja pequena.
Mulheres estão ganhando espaço, mas continuam querendo ser cuidadas e amadas como antigamente. O que mudou na maioria dos casos é o status da mulher, mas não o que realmente desejam e sonham: um bom companheiro, um grande amor, uma linda família.
O que mudou é como essas peças se encaixam!

(Visitado 2.882 vezes, 1 visitas hoje)