Curta e compartilhe!

Uma força me puxa pra rua, saio correndo, noite escura, nunca sei pra onde estou, persigo o vulto daquilo que eu não sei; invariavelmente me desmancho no chão daquele que me vê, o futuro é tão severo, o desgosto me assombra, a felicidade brinca como se eu fosse um peão no jogo se finais previsíveis, os amores que eu tive, os únicos que restaram, foram os que eu perdi, mas essa força continua a me puxarAs vezes eu sento na escada de quem não me quer, e me paro a observar o desvio no olhar, a cara de pena e nojo que fazem minhas frágeis veias entupirem pra borrar a máscara que insisto pra me defender, eu sou fraca, canso fácil, rôo as unhas, mordo os dedos, não é fácil fazer sangrar aquele que já não tenho nada a perder e, mesmo assim, tenho tanto medo de ter medo, tanto medo de não ter entre os dedos uma chave que funcione.

E isso me sufoca como se tivesse fogo no meu cabelo, eu choro, fungo feito criança de rua, depois eu rio de tudo isso, de mim mesma, feito drogada em dias que tem fogos no morro, depois me arrependo feito estupor sem alma, me sinto uma velha meretriz, que espera sem sonhos, em uma esquina sem janelas alguém que não virá, a dor é mais forte que eu, é insuportável tentar suportar, infinitamente acordo desta tristeza branca encardida, sentindo que é hora de partir, partir pra algum lugar onde eu me (re) conheça.

E eu juro que tento, aperto o que resta nos bolsos, ensaio, até parto, mas minhas pernas não obedecem e eu nunca vou muito longe, eu não consigo me abandonar, não consigo não acordar com o braço formigando, com sede de sangue, não consigo não sair pra rua, não encontrar a lua, não saber que a noite vai chegar, a chuva vai voltar e mais uma vez eu vou ter medo de ter medo, medo de que num determinado momento, eu me esqueça de quem fui, de qual caminho (de tijolos amarelos ou não), vai me fazer voltar …

* Bom, não sei se isto está exatamente dentro do contexto ‘AMOR’, porém trata, retrata e relata um caso, ou melhor, um final de caso de amor. Em um período meio que triste e perdido da vida do ser exato do texto, que não sabe por onde seguir ..

Enfim.., espero que sirva, é um dos meu preferidos.

(Visitado 173 vezes, 1 visitas hoje)

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0